Trabalho de Graduação Integrado
Documento
Autoria
Unidade da USP
Data de Apresentação
Orientador
Banca
Furlan, Sueli Angelo (Presidente)
Suzuki, Julio Cesar
Maria, Yanci Ladeira
Título em Português
Plantas alimentícias não convencionais (PANC) e agrofloresta: usos e potencialidades em Sistemas Agroflorestais da COOPERAFLORESTA em Barra do Turvo/SP
Palavras-chave em Português
Agrofloresta
Alimentação
COOPERAFLORESTA
PANC
Resumo em Português
O presente estudo foi idealizado sob as inquietações trazidas por uma racionalidade agrário-alimentar capitalista e hegemônica cada vez mais excludente e destrutiva para o planeta. Considerando suas consequências contemporâneas e as perspectivas de manutenção das crises sociais e ambientais, é preciso fomentar e apoiar alternatividades de produção, consumo e distribuição de alimentos pautadas pela autonomia, resistência e questionamento deste status quo. Entendendo que a COOPERAFLORESTA incorpora esses elementos, decidiu-se por estudar as estratégias de adaptação das famílias camponesas que produzem em SAFs sucessionais e investigar o tema da biodiversidade alimentar pela ótica das PANC (Plantas Alimentícias Não Convencionais). Ao aplicar a observação participante com registro de refeições, as entrevistas semi-estruturadas com perguntas temáticas e as breves turnês-guiadas pelas áreas de agrofloresta, o objetivo foi o de compreender melhor a realidade alimentar das famílias, identificar PANC consumidas e comercializadas e entender qual é sua relação com outros elementos e dinâmicas presentes no contexto cotidiano. Segundo os principais resultados, observa-se de forma geral que os produtos da agrofloresta estão largamente presentes na dieta, evidenciando no autoconsumo uma das maiores transformações promovidas no bem-estar e na alimentação das famílias. A alimentação hibridizada não significa que exista uma grande presença de ultraprocessados na cozinha, sendo que itens obtidos fora da propriedade são complementares à preparação de refeições em casa. Neste contexto, as PANC ainda não aparecem de maneira frequente ou relativamente expressiva em comparação a outros gêneros, mas muitas espécies são conhecidas e fazem parte do consumo das famílias. Esse conhecimento tem duas vias principais, que se reconstroem nas práticas das famílias: saber tradicional e saber adquirido em capacitações, trocas e aprendizados recentes. Embora não sejam ainda vendidas em maior escala, algumas PANC in natura e beneficiadas já fazem parte do processo de comercialização das famílias através de diferentes circuitos, o que atesta não apenas seu enorme potencial na complementação da dieta como também no enriquecimento das possibilidades e estratégias de geração de renda. As PANC encontram na dinâmica agrofloresteira da COOPERAFLORESTA as condições ideias para produção, estudo, compartilhamento e propagação, e portanto podem se constituir em ferramentas adicionais diferenciadas na garantia da Segurança e da Soberania Alimentar das famílias.
Arquivos
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome(s) do(s) autor(es) do trabalho.
 
Data de Publicação
2019-02-18
Número de visitas
356
Número de downloads
287
Copyright © 2010 Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos da USP. Todos os direitos reservados.