Trabalho de Graduação Integrado
Documento
Autoria
Unidade da USP
Data de Apresentação
Orientador
Banca
Scarlato, Francisco Capuano (Presidente)
Carmo, Waldirene Ribeiro do
Girotto, Eduardo Donizeti
Título em Português
A percepção do espaço para pessoa com deficiência visual: um estudo com usuários do Centro de Apoio ao Deficiente Visual, SP
Palavras-chave em Português
Espaço-geográfico
Sistemas sensoriais
Percepção
Resumo em Português
O presente trabalho consiste numa reflexão sobre o conceito espaço a partir da perspectiva das pessoas com deficiência visual: de que maneira o espaço que os circunda é vivido. O estudo baseou-se na vertente metodológica da Geografia Humanística-Cultural. Sua proposta envolve conhecer o espaço e o mundo a partir das sensações, valorizando a intersubjetividade e a intencionalidade, destacando as representações como construções decorrentes da apreensão dos significados e subjetividades espaciais. Para compreender o espaço vivido o estudo considerou outras pesquisas acerca do tema, que inferem os sistemas sensoriais como receptores de informações que vão influenciar no desenvolvimento de habilidades espaciais e consequentemente no processo de formação de imagens e representações do lugar/espaço. Assim, o estudo teve como objetivo investigar como os elementos sensoriais ajudam as pessoas com deficiência visual na composição, interação, interpretação do espaço e no desenvolvimento de habilidades tais como orientação e mobilidade, que geram uma consciência espacial. Para o desenvolvimento do trabalho optou-se como método de pesquisa a técnica da entrevista, realizada com os usuários do Centro de Apoio ao Deficiente Visual – CADEVI. Tal técnica não se limita ao esquema de pergunta e resposta. Consiste de algumas questões abertas, para que o entrevistado possa expressar seu conhecimento e suas opiniões, permitindo um diálogo aprofundado sobre a temática. Também foram realizados dois mapas táteis, pois se entende que os mapas são recursos fundamentais no processo de aquisição dos conceitos geográficos e no conhecimento espacial, além de auxiliar no processo de percepção do espaço. Como resultado observou-se que órgãos sensoriais promovem diferentes leituras do espaço, cujas percepções envolvem o estímulo sociocultural que são experienciadas durante o processo de formação do indivíduo. Apesar das dificuldades relatadas pelas pessoas com deficiência visual quanto à vida na cidade, sua percepção se assemelha às de outras pessoas que enxergam. Isto está ligado aos signos que são socialmente construídos e expressam valores socioculturais que ajudam na composição da representação da cidade. Desse modo, tanto as pessoas com deficiência visual quanto os outros citadinos vivenciam a cidade através das suas próprias experiências, mas permeados de signos socioculturais que os influenciam na linguagem, comunicação e representação que cada indivíduo tem com a cidade.
Arquivos
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome(s) do(s) autor(es) do trabalho.
 
Data de Publicação
2017-08-16
Número de visitas
82
Número de downloads
29
Copyright © 2010 Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos da USP. Todos os direitos reservados.