Trabalho de Conclusão de Curso
Documento
Autoria
Unidade da USP
Data de Apresentação
Orientador
Banca
Motokane, Marcelo Tadeu (Presidente)
Pereira, Marcelo
Título em Português
A representação social do corpo humano em livros didáticos de biologia
Palavras-chave em Português
Corpo negro
Livros didáticos
Ensino de Biologia
Resumo em Português
escola brasileira tem se mostrado uma importante engrenagem do sistema racista brasileiro, atuando como reprodutora e produtora de desigualdade racial. A discriminação racial e o racismo atuam de diversas formas na escola, desde a composição do currículo até as relações pedagógicas. Dessa forma, faz-se urgente a educação das relações étnico-raciais. É urgente que a educação passe a discutir as relações raciais de forma a contribuir para a construção de uma sociedade mais democrática. As pesquisas que investigam as relações raciais na escola costumam ter como foco as relações pedagógicas e os currículos de história e literatura, principalmente. O ensino de Ciências e Biologia não é um objeto de pesquisa muito frequente. Há uma necessidade de entender melhor os processos educativos referentes ao ensino de Biologia e às relações raciais para que possamos descobrir como essa área pode auxiliar na construção da educação das relações étnico-raciais. Estudar os materiais didáticos é fundamental para entender os processos educativos. O livro didático é a principal referência pedagógica dentro da educação brasileira, é a partir dele que as escolas estruturam seu conteúdo programático, que os professores montam seus planos de aula e suprem suas deficiências de formação. Além disso, o livro didático é, muitas vezes, o único material de leitura a que o aluno de escola pública tem acesso. Dessa forma, o livro didático torna-se uma ótima fonte de pesquisa para discutirmos diversos aspectos do ensino de Biologia. Nesse trabalho, investigamos como os livros didáticos de Biologia representam o corpo humano. A análise da representação social do corpo humano permite entendermos a estrutura de uma sociedade. Na representação do corpo, a sociedade marca uma série de atributos que julga desejável, sejam eles morais, intelectuais ou mesmo físicos. Os livros didáticos de Biologia trazem em suas páginas muitos modelos anatômicos que representam o corpo humano ou a espécie humana. Levantando quais eram esses corpos e qual cor/raça eles representavam, pudemos ter uma amostra de quais atributos esses livros veiculam como desejáveis, principalmente, ligados à identidade racial. Com uma imensa maioria de corpos brancos representados enquanto corpos humanos, o corpo negro, majoritário na população brasileira, fica à margem. Não é um corpo que está veiculado à ideia de corpo humano, é um corpo fronteiriço entre o que é humano e o que não possui humanidade, assim como o foi durante os séculos XVIII e XIX. Nesse período, o corpo negro foi amplamente desqualificado pela ciência como um corpo humano ou quando era afirmado enquanto pertencente à espécie humana, era qualificado como um humano de segunda ou terceira classe. O que os livros didáticos veiculam é uma representação social historicamente construída que enxerga no branco o ser humano universal, o representante da espécie humana, possuidor da humanidade que não se verifica em corpos negros, indígenas ou amarelos
Arquivos
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome(s) do(s) autor(es) do trabalho.
 
Data de Publicação
2017-02-16
Número de visitas
299
Número de downloads
100
Copyright © 2010 Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos da USP. Todos os direitos reservados.