Trabalho de Conclusão de Curso
Documento
Autoria
Unidade da USP
Data de Apresentação
Orientador
Banca
Barros, Joana da Silva
Shimbo, Lúcia Zanin
Título em Português
Porosidades e resistências ou fabricação de consenso? uma análise da luta dos movimentos sociais no contexto da financeirização das cidades no Brasil
Palavras-chave em Português
Financeirização das cidades
Movimentos sociais
Minha casa minha vida
Resistências urbanas
MSTB
Salvador (BA)
Desigualdade social brasileira
Resumo em Português
Este trabalho de graduação investiga a relação entre os movimentos sociais de luta urbana e o Programa Minha Casa Minha Vida dentro do contexto da financeirização das cidades brasileiras, de modo a entender se a ação destas organizações populares se constitui enquanto porosidades e resistências políticas, ou o contrário, se produzem apenas consenso. A metodologia aqui empregada se propõe a analisar este quadro pela ação empreendida pelo Movimento Sem Teto da Bahia (MSTB), pelo exemplo da Ocupação do Núcleo Força e Luta localizada em Salvador (BA), onde as incursões de campo foram realizadas e onde, peculiarmente, se percebe um processo de financeirização pela exploração do patrimônio histórico-cultural da cidade. Argumentase aqui que a hipótese da neutralização da capacidade política dos movimentos sociais pela ação consensual das políticas públicas é coerente, mas ela é reducionista e carece de ponderações, pois a brutalidade da desigualdade social brasileira é um fator que densifica as condições de construção do processo de subjetivação política do povo, de modo que possibilidades de fissuras neste modelo hegemônico também são possíveis pelo horizonte dos movimentos sociais dentro do Programa Minha Casa Minha Vida. O que é mostrado, entretanto, é que estas possibilidades de fissuras não configuram uma acensão da luta de classes nas cidades, ao contrário, demonstram os pontos de superação necessários à prática dos movimentos para que estes encampem reais resistências ao processo de financeirização das cidades, este que acirra desigualdes, segrega mais o espaço e transforma a terra urbana em ativo financeiro.
Título em Inglês
Porosities and resistances or breaks of consense? an analysis of the social movements’ struggle in the context of the financialization of Brazilian cities.
Palavras-chave em Inglês
Financialization of the cities
Social movements
Minha casa minha vida
Urban resistances
MSTB
Salvador (BA)
Brazilian social inequality
Resumo em Inglês
This paper investigates the relationship among the urban social movements and the program “Minha Casa Minha Vida” in the context of the finacialization of the Brazilian cities, in a manner to understand if these organizations’ action builds political resistances and porosities, or the contrary, if they build only consense. The methodology used here intends to analyse this issue by the Movimento Sem Teto da Bahia (MSTB)’s action, specifically by the Núcleo Força e Luta’s occupation, located in Salvador (BA), where a field work had been realized and where it is perceived a particular process of finacialization which explore the city’s historic-cultural heritage. It is argued here that the thesis of social movements’ political capacity neutralized by the consensual action of public policies is coherent, but it is also reducionist and it lacks a wheighting, because the brutality of Brazilian social inequality is a factor that densifies the conditions in which the process of people’s political subjectivation is constructed, in a way that possibilities of fissure in the hegemonic model are possible as well. However, it is shown that these possibilities of fissure do not set up a rise in the urban class struggle, in the contrary, they present nodal points to be beated by the social movements’ pratic in order to build real resistances against the finacialization of the cities, a process that potentiates inequalities, intensifies the spatial segregation and transforms the urban land in a financial asset.
Arquivos
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome(s) do(s) autor(es) do trabalho.
Marinhocaio.pdf (2.11 Mbytes)
 
Data de Publicação
2017-09-22
Número de visitas
307
Número de downloads
83
Copyright © 2010 Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos da USP. Todos os direitos reservados.